Facebook do Clube dos Marimbás
Twitter do Clube dos Marimbás

Regimento Interno

(o texto deste documento pode ter sofrido alterações - consulte a Secretaria)

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO


CAPÍTULO I
DA COMPOSIÇÃO


CAPÍTULO II
DA ORGANIZAÇÃO


CAPÍTULO III
DA COMPETÊNCIA

- DO CONSELHO
- DO PRESIDENTE DO CONSELHO
- DO 1º SECRETÁRIO
- DO 2º SECRETÁRIO 
- DOS CONSELHEIROS
- DAS COMISSÕES


CAPÍTULO IV


DO FUNCIONAMENTO


CAPÍTULO V
DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS


 


REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO
DO CLUBE DOS MARIMBÁS


 


CAPÍTULO I
Da Composição


Art. 1º - O Conselho Deliberativo (CD) do Clube dos Marimbás é composto por Membros Natos e Membros Temporários.


§ 1º - São Membros Natos os sócios beneméritos, o sócio proprietário de matrícula mais antiga, e os ex-comodoros que tenham exercido o período estatutário do mandato.
§ 2º - São Membros Temporários, 20 (vinte) sócios proprietários, com igual número de suplentes, em pleno gozo de seus direitos sociais, eleitos ou reeleitos pela Assembléia Geral, para um período de 4 (quatros) anos, sendo renovados, pela metade, de dois em dois anos.


Art. 2º - As vagas ocorridas no quadro efetivo serão preenchidas pelos suplentes eleitos no mesmo pleito, cuja convocação obedecerá à ordem de votação e, em caso de igualdade, pelo suplente de ingresso mais antigo no Clube e, se ainda persistir, o mais idoso.
Parágrafo Único - Na falta dos suplentes do mesmo pleito, assumem os suplentes da outra eleição, respeitada sempre a ordem de convocação estabelecida no Estatuto.


Art. 3º - O Conselheiro Temporário que faltar a três reuniões consecutivas, ou a cinco no mesmo exercício, sem justificativa por escrito, perderá automaticamente o mandato.
Parágrafo Único - As faltas serão computadas com base no livro de presença, independente da efetiva realização da reunião.


Art. 4º - Os membros do Conselho Deliberativo poderão estar em uma das seguintes situações:
I- Em função;
II- Exercendo cargo na Diretoria;
III -Licenciado.


Parágrafo Único - O prazo máximo de licenciamento é de 120 (cento e vinte) dias, observando sempre o previsto no § 2º do Art. 60 do Estatuto.


CAPÍTULO II
Da Organização


Art. 5º - O Conselho Deliberativo tem a seguinte organização:
I - Presidência e Vice-Presidência;
II - Secretaria;
III - Plenário.


Art. 6º - A Presidência é exercida pelo Conselheiro eleito pelo próprio Conselho, em reunião anual, Ordinária, realizada na 2ª quinzena de novembro. O Vice-Presidente, eleito na mesma reunião, substitui o Presidente nos seus impedimentos, assumindo os mesmos direitos e atribuições.


Art. 7º - A Secretaria do Conselho é composta por dois Conselheiros eleitos para as funções de 1º e 2º Secretários, na mesma reunião que elegeu o Presidente e o Vice-Presidente.


Art. 8º - O Plenário é a reunião formal dos membros do Conselho que discutem e deliberam sobre os assuntos constantes da pauta.
§ 1º - Por deliberação do próprio Plenário, poderão ser formadas uma ou mais Comissões para estudar e apresentar pareceres sobre assuntos determinados. Estas Comissões serão constituídas, no mínimo, de três Conselheiros, cujos Presidentes são escolhidos de comum acordo pelos seus próprios membros.
§2º - O Presidente do Conselho fixa o prazo para que a Comissão formada, apresente para o Plenário o trabalho em estudo.


CAPÍTULO III
Da Competência


Art. 9º - A competência do Conselho Deliberativo está expressa no art. 61 do Estatuto.


Art. 10 - Compete ao Presidente do Conselho:
I - Convocar, abrir, presidir e encerrar as reuniões do Conselho Deliberativo;
II - Convocar e, em nome do Plenário, dar posse aos suplentes;
III - Despachar o expediente;
IV - Suspender a reunião sempre que comportamentos descabidos
caracterizem princípios de tumultos que impeçam ou dificultem o andamento normal da mesma;
V - Solicitar ao Plenário a indicação de dois Conselheiros para servirem de Escrutinadores, quando houver eleição;
VI - Designar um Conselheiro presente para secretariar a reunião, na falta dos 1º e 2º Secretários;
VII - Assinar as atas das reuniões e as convocações para as mesmas;
VIII - Conceder autorização para que Diretores possam assistir às reuniões do Conselho;
IX - Votar, nas votações de caráter secreto e nos casos de empate nas votações em aberto;
X - Colocar em votação, pelo Plenário, os assuntos que após apreciados e discutidos, sejam objetos de deliberação;
XI - Conceder a palavra aos Conselheiros, atendendo à ordem em que foi solicitada;
XII - Cassar a palavra do orador quando este insistir em falar sobre matéria já decidida ou assuntos que não sejam pertinentes à reunião;
XIII - Fazer retirar do recinto da reunião o Conselheiro que, por sua atitude inconveniente, esteja prejudicando a harmonia e o bom andamento da mesma;
XIV - Manter a disciplina, o bom nível das discussões e a obediência ao Estatuto, ao Regulamento e ao Regimento Interno, durante as reuniões;
XV - Evitar que assuntos de caráter particular, ou que não sejam de interesse do Clube, sejam trazidos para discussão no Plenário;
XVI - Com base nos §§ 1º, 2º e 3º do Art. 47 do Estatuto, solicitar ao 1º Secretário o número de Conselheiros presentes para, em função do efetivo, dar início ou não às reuniões;
XVII - Determinar a leitura da ata da reunião anterior e, após, colocá-la em discussão e aprovação por parte do Plenário;
XVIII - Designar representantes do Conselho para atender a solicitações ou convites de caráter externo;
XIX - Decidir sobre o consumo de bebidas alcoólicas durante as reuniões.


Art. 11 - Compete ao 1º Secretário:
I - Cumulativamente com a sua função, assumir a de Vice-Presidente quando este exercer a Presidência do Conselho;
II - Secretariar as reuniões do Conselho, na falta do 2º Secretário;
III - Manter atualizado o quadro de ausências dos Conselheiros, informando ao Presidente sobre a situação dos mesmos, com vistas ao cumprimento do Art. 49 do Estatuto;
IV - Verificar, antes do início das reuniões, o efetivo de Conselheiros presentes, com vistas a informar ao Presidente sobre a viabilidade ou não da realização das mesmas;
V - Fazer com que os Conselheiros assinem o livro de presença, antes das reuniões.


Art. 12 - Compete ao 2º Secretário:
I - Substituir o 1º Secretário em suas ausências;
II - Providenciar a convocação do Conselho ligando-se, para este fim, ao Presidente do Conselho e à Secretaria do Clube, verificando em particular:


- a pauta da reunião;
- a relação dos Conselheiros a convocar;
- os prazos de convocação;
- a assinatura do Presidente;
- a remessa da convocação pelo correio;
- a fixação da convocação no quadro de avisos;


III - Providenciar, antecipadamente, para que antes do início das reuniões estejam no recinto da mesma:
- o livro de presenças
- o livro de atas;
- a convocação;
- a justificativa, por escrito, dos Conselheiros que irão faltar a reunião;
- a documentação recebida;
- toda a literatura para consulta, tais como, Regulamento;
- Estatuto, Regimento, etc
- material específico para votações.
IV - Ler e redigir as atas das reuniões;
V - Providenciar as assinaturas exigidas, no livro de atas;
VI - Providenciar para que as deliberações do Conselho cheguem ao conhecimento da Diretoria.


Art. 13 - Compete aos Conselheiros:
I - Assinar antes do início das reuniões o Livro de Presença;
II - Respeitados os prazos estatutários informar por escrito ao Presidente do Conselho quando não puder atender à Convocação para uma Reunião;
III - Portar-se de modo educado e cavalheiresco, condizente com a sua nobre função, durante as reuniões do Conselho;
IV - Somente usar da palavra quando esta lhe for concedida, sempre de modo claro e educado;
V - Votar, em aberto ou secretamente, a matéria colocada em votação;
VI - Apresentar ao Plenário observações, fatos ou informações de qualquer natureza que julgue de interesse do Clube;
VII - Apresentar proposicão que, estando em pauta e, se aceita pelo Plenário, poderá ser objeto de estudo por uma comissão ou de votação pelo próprio Plenário;
VIII - Solicitar por escrito ao Presidente o seu licenciamento temporário do Conselho, apresentando os motivos e os prazos;
IX - Participar como membro de uma comissão para a qual tenha sido escolhido podendo, contudo, negar-se a esta participação;
X - Acatar as convocações do seu Presidente, comparecendo às reuniões;
XI - Pelo uso da palavra concedida, externar livremente o seu pensamento sobre o assunto em discussão;
XII - Respeitando o estabelecido no § 2º, do Art. 58 do Estatuto, solicitar reunião do Coselho Deliberativo.


Art. 14 - Compete às Comissões analisar e estudar os assuntos a elas atribuídos apresentando-os em Plenários, dentro do prazo estabelecido.


 


CAPÍTULO IV
Do Funcionamento


Art. 15 - As reuniões só serão iniciadas se atendido o quorum mínimo estabelecido nos §§ 1º, 2º e 3º do Art. 47, do Estatuto.


Art. 16 - Na ausência do Presidente, assume automaticamente a direção da reunião, o Vice-Presidente.


Parágrafo Único - Na falta do Presidente e do Vice-Presidente os trabalhos serão abertos pelo Conselheiro mais antigo presente, o qual solicitará aos Conselheiros presentes que, por aclamação ou eleição indiquem um dentre eles para presidir a reunião.


Art. 17 - O Presidente do Conselho, os 1º e 2º Secretários, ou seus substitutos legais, constituem a Mesa ou a Direção que dirige os trabalhos da reunião.


Parágrafo Único - Na constituição da Mesa, em princípio, para melhor desempenho na condução dos trabalhos, o Presidente ou seu substituto, deverá sentar-se entre os dois Secretários.


Art. 18 - As reuniões decorrem normalmente na seguinte sequência:
I - Verificação do número de Conselheiros presentes e de suas assinaturas;
II - Constituição da Mesa;
III - Abertura da reunião, pelo Presidente ou seu substituto legal, seguindo-se os seguintes eventos:
- divulgação do expediente recebido e expedido;
- leitura da convocação;
- leitura das justificativas dos Conselheiros ausentes;
- leitura, discussão, aprovação da ata da Reunião anterior;
-discussão e votação (quando for o caso) dos assuntos constantes da pauta;
- Outros assuntos (respeitados os § § 1º e 2º do Inciso II, do Art. 46, do Estatuto)
- encerramento da reunião.


Parágrafo Único - Os assuntos constantes da pauta poderão, se proposto por um Conselheiro e aprovado pelo Plenário, ser discutidos em outra ordem.


Art. 19 - No julgamento em grau de recurso, os recorrentes após apresentarem seus argumentos, deverão deixar o recinto da reunião, antes do início da votação.
Parágrafo Único - O Conselho Deliberativo, após ouvidas as partes, poderá tomar as seguintes decisões sobre a pena imposta:
I - Manter;
II - Reformar.


Art. 20 - Propostas de admissão ou readmissão de sócios poderão ser apreciadas e votadas pelo Conselho se obedecido o disposto no Art. 14 do Estatuto.
§1º - Cumpridas as formalidades estatutárias, o Presidente e o Secretário do Conselho, selecionarão as propostas que serão apreciadas com base na antigüidade das mesmas. As que porventura não forem selecionadas, serão devolvidas à Secretaria do Clube para serem votadas numa futura reunião.
§2º - Para uma melhor apreciação sobre os candidatos serão analisados, no máximo 08 (oito) propostas por reunião.
§3º - Para melhor alicerçar o julgamento da proposta, o Presidente do Conselho poderá chamar ao recinto da reunião, para prestar informações, um ou mais dos proponentes, ou qualquer outro sócio que tenha bons conhecimentos sobre o candidato.
§4º - Caso as informações obtidas não propiciem um boa avaliação sobre o candidato, o Presidente o Conselho, após manifestação do Plenário, poderá retirar a proposta para posterior julgamento.


Art. 21 - Com exceção da admissão ou readmissão de sócio proprietário, todas as outras matérias poderão ser decididas em votação secretas ou abertas.


Art. 22 - Com exceção de quorum qualificado pelo Estatuto, qualquer outra matéria deverá ser deliberada pela maioria de votos dos presentes, conforme verificado no Livro de Presença


Art. 23 - Nas votações secretas o Presidente deve utilizar um sistema em que fique bem caracterizado o sigilo do voto de cada Conselheiro.


CAPÍTULO V
Das Disposições Gerais e Transitórias


Art. 24 - As resoluções que venham a ser tomadas pelo Conselho Deliberativo sobre omissões deste Regimento, serão anotadas em livro específico e colocadas em forma de emenda, no próprio Regimento, devendo o mesmo ser reeditado na íntegra trinta dias após.


Art. 25 - Este Regimento Interno entra em vigor na data da sua aprovação pelo Conselho Deliberativo.


Este Regimento foi aprovado, por unanimidade, pelo Conselho Deliberativo, em reunião do dia 21/01/97


 


Rio de Janeiro, 15 de Abril 1997


Secretaria


Tesoureiro
Gilberto Henrique dos Reis

Contas a Pagar
Ricardo Pereira

Eventos
Ana Paula Ferreira

Eventos/Atendimento
Maria Luiza Angelo Costantino



 


Endereço


Clube dos Marimbás
Praça Cel. Eugênio Franco, 2
Posto 6 - Copacabana
CEP: 22070-020
Rio de Janeiro - RJ
Tel: (21) 2267-5151
(21) 2267-5152
(21) 2227-1115
Fax: (21) 2513-0311



Taxas


Taxas Únicas
Título: (sob consulta)
Transferência: (sob consulta)

Mensalidades
Manutenção: R$ 550,00
Vaga de Barco: R$ 220,00
Vaga de Motor: R$ 40,00

Náutica
Aluguel de Barco: R$ 30,00
(valor diário)
Estadia de Barco: R$ 20,00
(valor diário)

Churrasqueira
Maioria de sócios: Isento
(dias úeis)
Maioria de sócios: Isento
(sáb., dom. e fer. após 18h)
Minoria de Sócios: R$ 1.000,00
(valor diário)

Ponta da Varanda
Sócios: R$ 500,00
(qua. e dom. das 20h à 01h)
Convidados: R$ 1.500,00
(das 20h à 01h)

Salão de Festas
Domingo a quinta: R$ 9.500,00
(exc. feriado)
Sex., sáb. e fer.: R$ 12.500,00
Sócios: 50% desconto


Salão de Jogos
Sócio: (sob consulta)
Convidado: (sob consulta)
(valor diário)



 

Twitter do Marimbás

Galeria de Fotos

Galeria de Fotos

Visite nossa Galeria de foos
Veja as Fotos

Tels.: (21) 2267-5151 | (21) 2267-5152 | (21) 2227-1115
Direto Secretaria: (21) 3298-1288

Desenvolvido por www.laca.com.br